Amamentação do bebê prematuro


O leite materno é um alimento completo para o bebê prematuro. Além de ajudar a evitar danos ao sistema digestivo, também oferece proteção contra infecções, desnutrição, alergias e outras doenças que podem prejudicar a saúde do pequeno.

Benefícios do leite para o bebê prematuro

O colostro é um exemplo disso. Este é o primeiro leite materno produzido durante a gravidez, é mais espesso, rico em anticorpos e imunoglobulinas (que ajudam na proteção do recém-nascido) e tem efeito laxante (ajuda o pequeno a expulsar as primeiras fezes). E, conforme o bebê se desenvolve, o leite materno muda e se adequa às necessidades nutricionais e digestivas dele.

Riscos durante a amamentação do bebê prematuro

O ato de sugar o leite materno exige muita energia do bebê prematuro e isso pode implicar na perda de peso, por isso é importante observar o esforço que ele faz durante a amamentação. Além disso, o bebê prematuro muitas vezes apresenta dificuldades em coordenar sucção-deglutição-respiração e pode acabar se engasgando ao mamar – se isso acontecer, é só parar a amamentação e deixar o bebê descansar.

Como ajudar o bebê prematuro na amamentação

Acordar o bebê antes da amamentação é uma dica para evitar complicações nesse momento. Isso porque o prematuro é mais sonolento, precisa ser acordado e estimulado nos horários das mamadas. Assim como estimular o bebê prematuro a sugar o leite – a mãe pode fazer isso ao roçar o seio ao lado da boca do bebê para ajudá-lo a procurar o mamilo e abrir a boca.

Ou ainda com a posição do bebê. A mais indicada é manter o prematuro com as pernas encolhidas, os braços voltados para o centro do corpo e a cabeça levemente inclinada em direção ao peito, enquanto segura as mãos dele.

Quanto à frequência, vai depender de quantas vezes o bebê prematuro pede para mamar, o que pode variar de 8 a 12 vezes por dia. A duração da mamada também depende do tempo de prematuro. Assim que ele estiver saciado, soltará o peito sozinho.

Referências