Prematuro: saiba mais

Bebê prematuro: o que é?

Bebês prematuros são crianças nascidas antes de 37 semanas completas de gestação, de acordo com definição da Organização Mundial da Saúde (OMS). Prematuros podem apresentar algumas complicações devido ao nascimento antecipado, mas, graças aos avanços na medicina e aos cuidados especiais com esses pacientes, muitos deles se desenvolvem normalmente. Conheça um pouco mais sobre o assunto.

Subcategorias de prematuros

Conforme o tempo gestacional, os prematuros são divididos em três subcategorias:

  • Prematuro extremo (extremely preterm) - aquele que nasce antes de ter completado 28 semanas de idade gestacional;
  • Muito prematuro (very preterm) - aquele que nasce entre 28 e 32 semanas de idade gestacional;
  • Prematuro moderado a tardio (moderate to late preterm) - aquele que nasce entre 33 e 36 semanas de idade gestacional.

Prematuridade eletiva ou espontânea

Quando olhamos para a evolução clínica, a prematuridade pode ser classificada de duas formas:

  • Eletiva: nesse caso, a gestação é interrompida por conta de complicações para a saúde da mãe, por exemplo, hipertensão e deslocamento prematuro de placenta, ou por complicações para o bebê, tais como restrição de crescimento ou sofrimento fetal;
  • Espontânea: o trabalho de parto é espontaneamente prematuro, pelos mais variados motivos.

Sobre os tipos de prematuridade, a pediatra Paula Cunha Alves, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), diz que “alguns riscos são inerentes à baixa idade gestacional, independentemente do tipo de prematuridade”.

A pediatra continua: “Mas a prematuridade espontânea tem como agravante o motivo que fez com que o parto fosse realizado antes do período normal. Quanto maior a quantidade de complicações que ocasionaram esse nascimento antecipado, mais complicações esse bebê terá”.

Características de um bebê prematuro

Muitas vezes, bebês prematuros podem apresentar as seguintes características:

  • Tamanho pequeno;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Pele fina, brilhante e rosada, às vezes coberta por lanugo (penugem fina);
  • Pouca gordura sob a pele e veias visíveis;
  • Orelhas finas e moles;
  • Cabeça grande e desproporcional em relação ao corpo;
  • Músculos fracos e atividade física reduzida;
  • Respiração irregular.

A saúde frágil é uma das principais características de bebês prematuros e pode trazer algumas complicações para os nascidos com idade gestacional menor que 37 semanas.

Problemas respiratórios: prematuros nascem carentes de surfactante (molécula que mantém os alvéolos pulmonares abertos para trocas gasosas). Outro problema possível em prematuros é a displasia broncopulmonar (cicatrizes pulmonares resultantes de infecções que podem dificultar o desenvolvimento dos pulmões) e a apneia (pausa na respiração).

Complicações cardíacas: a mais comum é a persistência do canal arterial, o canal responsável por levar sangue rico em oxigênio da artéria pulmonar para a aorta. Em bebês prematuros, esse canal pode demorar para se fechar, ocasionando problemas respiratórios e cardíacos. Problemas cardíacos podem ser detectados antes do nascimento do bebê por meio do exame de ecocardiograma fetal, que pode ser realizado após 18 semanas de gestação.

Enterocolite necrotizante (NEC): complicações intestinais em que a superfície interna do intestino sofre lesões e se inflama, o que pode resultar no necrosamento de uma parte do intestino e perfuração intestinal.

Hemorragia cerebral: o derramamento de sangue no tecido cerebral de bebês prematuros, na maioria dos casos, é reabsorvido pelo organismo, sem graves consequências.

Retinopatia: crescimento desorganizado dos vasos sanguíneos, que chegam à retina do bebê. Em alguns casos, a retina pode se deslocar e ocasionar a perda da visão da criança.

Risco de mortalidade neonatal e cuidados

O bebê prematuro tem suas estruturas e funcionamentos orgânicos ainda precários e precisa de auxílios para sobreviver. Desde que alguns cuidados sejam tomados logo após o nascimento da criança, as chances de um desenvolvimento normal são cada vez maiores:

  • Internação temporária na UTI Neonatal, para acompanhar e estimular o desenvolvimento;
  • Permanência na incubadora, para manter a temperatura corporal estável;
  • Monitoramento dos sinais vitais (como pressão arterial, batimentos cardíacos e respiração);
  • Possibilidade da necessidade de alimentação intravenosa ou através de tubos e transfusões sanguíneas.

UTI Neonatal

Segundo a Dra. Paula Cunha Alves, “a UTI Neonatal é um setor de cuidado intensivo e bem peculiar. A equipe é multiprofissional para oferecer apoio tanto ao bebê, como aos pais, trabalhando no aleitamento materno e na integração familiar, mesmo que o bebê não vá logo para casa. Além de oferecer toda a vigilância proposta para manter o bebê em condições ideais para que ele complete seu desenvolvimento”.

Sobrevivência de bebês prematuros

Após o nascimento de bebês prematuros, é difícil prever como será seu desenvolvimento e o quão saudável a criança será. Mas, no geral, depois que eles passam por todos os cuidados necessários após o nascimento, as chances de terem uma vida normal são grandes. Bebês nascidos antes de 28 semanas ou com menos de 1kg, porém, tem mais chances de desenvolver problemas de cognição, de aprendizado e alguma forma de paralisia cerebral.

Em caso de dúvidas ou para mais informações sobre bebês prematuros, sempre consulte seu médico.

Médico entrevistado

Dra. Paula Cunha Alves, CRM: 129374 SP, médica pediatra da diretoria Materno Infantil da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

Referências

http://www.einstein.br/einstein-saude/em-dia-com-a-saude/Paginas/os-riscos-da-prematuridade.aspx