O que é o VSR (Vírus Sincicial Respiratório)?

O vírus sincicial respiratório (VSR) é um dos principais causadores de doenças respiratórias em bebês e crianças pequenas. As doenças ocasionadas pelo VSR são transmitidas por meio de gotículas com o vírus transportadas pelo ar ou também por contato direto com as secreções da boca ou nariz de uma pessoa infectada.

Em crianças acima de dois anos de idade, ou adultos saudáveis, a infecção por VSR pode ser confundida com um simples resfriado. Porém, em crianças prematuras ou portadoras de doenças cardíacas congênitas e displasia broncopulmonar, o vírus pode levar à hospitalização e até ao óbito.

Principais sintomas do VSR

Os sintomas de infecção pelo vírus começam entre o segundo e o oitavo dia depois do contágio. Na maior parte do Brasil, a infecção pelo VSR é mais comum no fim do outono e durante o inverno (março a julho). Na região Norte acontece bem mais cedo (fevereiro a junho) e no Rio Grande do Sul um pouco mais tarde (abril a agosto).

Os principais sintomas de infecção pelo VSR são:

  • Congestão nasal;
  • Garganta irritada;
  • Dificuldade respiratória;
  • Tosse;
  • Febre (em alguns casos).

Os bebês infectados podem ter dificuldade para mamar ou engolir os alimentos e, por ter a saúde mais frágil, a infecção pode evoluir para uma bronquiolite ou pneumonia.

Como aliviar os sintomas do VSR?

  • Fazer sucção suave do nariz e lavagem com soro;
  • Não usar medicamentos sem o consentimento de um pediatra, pois podem causar efeitos colaterais;
  • Fazer inalação somente com soro, que também pode ser uma opção para aliviar os sintomas. Só usar medicamento na inalação se o médico prescrever.

O diagnóstico é feito basicamente pela avaliação dos sintomas do bebê ou da criança. Em alguns casos, são realizados exames laboratoriais.

Algumas medidas de cuidado especial com o seu bebê são importantes: ofereça bastante líquido e fique atento aos sinais de desidratação, tais como boca seca, sonolência, olhos encovados (fundos) e pouca ou nenhuma urina. Caso haja complicações, o tratamento deve ser feito de forma intensiva no hospital para que o bebê mantenha a respiração adequada.

Em caso de dúvidas ou para mais informações, sempre consulte seu médico.

Referências